Sistema de Lupa activo | Voltar vista normal
GuinÚ-Bissau 

Assoreamento ameaša fechar porto de Bissau

Se nada for feito, dentro de dois anos o movimento de navios no porto da capital da Guiné-Bissau poderá cessar devido ao assoreamento.

Concebido para poder operar navios porta-contentores de até 5 000 TEU de capacidade, o porto guineense está já limitado a receber apenas navios de até 2000 TEU, devido à redução dos calados.

A situação é tanto mais grave quanto pelo porto de Bissau passam 95% das importações e 85% das exportações do país.

A concorrência a Bissau é representada pelos portos de Banjul, na Gâmbia, e de Dakar, no Senegal, onde os custos de movimentação das cargas são mais baratos em cerca de um terço, devido a ambos possuírem melhores infra-estruturas. Não por acaso, a maior dos combustíveis destinados à Guiné-Bissau entram no país por estrada, oriundos de Dakar, distante cerca de 400 quilómetros.

Para resolver o problema, as autoridades guineenses apostam numa parceria público-privada com a International Finance Corp., controlada pelo Banco Mundial, que assegure a gestão do porto.

Por outro lado, o governo de Bissau está também a trabalhar com a Bauxite Angola, uma companhia mineira, para construir um novo porto na região de Buba, a sul da capital. Mas das as suas características não servirá de alternativa ao porto principal do país.

FONTE: TRANSPORTES & NEGÓCIOS