Início > Artigo > Movimentação de cargas pelo Porto de Fortaleza cresce 7,4% no semestre



BRASIL

Movimentação de cargas pelo Porto de Fortaleza cresce 7,4% no semestre


O crescimento econômico do Estado do Ceará permanece influenciando a movimentação de mercadorias no Porto de Fortaleza, que neste primeiro semestre de 2012 aumentou 7,4% sua pauta em relação ao mesmo período do ano anterior. Ao todo, foram movimentadas 2.126.357,87 toneladas de cargas, entre importação e exportação. Os principais produtos em destaque são os derivados de petróleo, classificados em Granéis Líquidos, tais como Gasolina, Diesel, Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), Querosene de Aviação, Álcool e Lubrificante.

“Todos estes itens refletem o aumento do consumo de combustível dos veículos individuais e coletivos que trafegam em todo o Estado, do gás de cozinha necessário nas residências e indústrias da capital e Região Metropolitana e do combustível para aviões que chegam e partem todos os dias de Fortaleza. São insumos que só conseguem chegar a nossa cidade pela via marítima, em virtude do volume”, destaca Mário Jorge Cavalcanti, Coordenador de Infraestrutura e Gestão Portuária da Companhia Docas do Ceará (CDC), empresa que administra o Porto de Fortaleza.

Seguidos pelos Granéis Líquidos, que representam 55% da pauta de movimentação de cargas do Porto de Fortaleza, estão os Granéis Sólidos, representando 27% da movimentação. Nesta categoria, o principal destaque é o trigo. “Temos o segundo maior pólo moageiro do país, em virtude da instalação dos Moinhos Dias Branco, Cearense e J. Macedo na cidade de Fortaleza. Juntos, os moinhos importam trigo da Argentina, do Canadá e dos Estados Unidos. Essa carga, também em virtude do volume, só consegue chegar pelo Porto”, enfatiza Mário Jorge.

Em terceiro lugar na pauta de movimentação de cargas do Porto de Fortaleza está a Carga Geral, responsável por 18% da balança. “Os destaques aqui são o arroz, cimento, sal, castanha de caju, equipamentos integrantes dos geradores de usina eólica (flanges, turbinas, torres, pás), farinha de trigo, papel kraft, tambor de freio, trilhos, bem como as frutas (banana e manga), que são o nosso principal item de exportação para os Portos da Europa”, comenta o Diretor da CDC.

A Carga Geral, que pode ser movimentada solta ou em contêiner, garantiu incremento da carga conteneirizada neste primeiro semestre de 2012. De janeiro a junho, o Porto de Fortaleza registrou a movimentação de 3.076 TEUS (o que corresponde a 1.555 unidades de contêiner), crescimento de 9,94% em relação ao mesmo período do ano passado. “Há uma tendência mundial de conteneirização das cargas, o que garante menor índice de faltas e avarias dos produtos que chegam às fábricas, comércios e casas das pessoas”, garante Mário Jorge.

Segurança e Controle

Toda a movimentação de cargas do semestre foi realizada com a entrada de 262 navios, que seguem normas internacionais e nacionais para navegação, atracação e carga/descarga de mercadorias. São diversos órgãos envolvidos, cada um com seu papel bem definido na operacionalização do comércio internacional e de cabotagem, desde a Capitania dos Portos, que concede autorização para entrada e saída das embarcações, passando pela Marinha Mercante, até a Receita Federal, Secretaria da Fazenda, Ministério da Agricultura, ANVISA, Polícia Federal, responsáveis pela arrecadação de impostos e fiscalização.




Data: 2012-07-30

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Francisca Chambal

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Robledo Gioia

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Abertura do Painel I - Lídia Sequeira

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Adriano Rosamonte

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Augusto Fernando Cabi

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Madalena Neves

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Fernando Nunes da Silva

 Congresso Intercalar Portos CPLP - Rio de Janeiro – Domingos Fortes (1)

 “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”- Matos Fernandes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP – Menção Honrosa a Lima Torres

 IV Encontro de Portos da CPLP - Sessão de encerramento - Franklim Spencer

 “GEOPOLÍTICA DO MAR” - Carlos Manuel Mendes Dias (1)

 Novo Porto do Dande - Domingos Fortes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP - Franklin Spencer

 «Há muito potencial de crescimento nas relações comerciais Portugal/Brasil» (1)

 Porto de Luanda - 1955

 III Encontro de Portos da CPLP - Adalmir José de Sousa

 III Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Mesa de Honra

 III Encontro de Portos da CPLP - Estudo de mercado - (13) – Debate

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)