Início > Artigo > Porto de Santos com novo recorde no quadrimestre



BRASIL

Porto de Santos com novo recorde no quadrimestre


A movimentação de cargas pelo Porto de Santos registou novo recorde no primeiro quadrimestre, alcançando o total de 30.460.788 toneladas, impulsionada pela forte alta das exportações, com aumento de quase 12%, elevando o total operado em 6% sobre a até então melhor marca no período (28.726.324 toneladas em 2011).

O crescimento das exportações é, principalmente, resultado dos elevados embarques do chamado complexo soja (grãos e pellets), disparado na liderança do movimento físico, com participação de 25% do total geral do Porto no quadrimestre.

Com 7.607.457 toneladas escoadas, a soja atingiu alta de 44% em relação a igual período do ano passado. O produto em grãos chegou a 6,8 milhões de toneladas, colocando Santos como principal porto escoador do produto, com quase 40% do total exportado pelo Brasil, seguido por Paranaguá com participação de cerca de 25% . O estado do Mato Grosso é a principal origem da soja exportada por Santos, representando 64,4% do total, seguido por Goiás que participa com 16,7%. Apesar da expectativa da queda da produção mundial em 2012, o Brasil deverá se tornar o maior fornecedor da commoditie já a partir de 2013.

O açúcar, que ocupa o segundo lugar dentre as mercadorias de maior movimentação, registrou queda de 15,1% no período, atribuída a atraso na moagem da cana na região centro-sul. A expectativa, no entanto, é de aumento com a chegada do volume da safra 2012/2013.

Ainda com menor participação mas com forte tendência de aumento, a exportação teve como destaque, os embarques de álcool e diesel, respectivamente, 48,1% e 44%.

Nas importações, a queda no quadrimestre foi de 3,7%, com praticamente todas as principais mercadorias acusando reduções significativas. O carvão, carga de maior participação dentre as importações, teve baixa de 22,7% , seguindo pela diminuição de 15,1% do adubo e de 20,1% do trigo.

Com 977.411 teu movimentados, a carga conteinerizada mantém o crescimento, apontando 10,4% de alta no período.

Também mantendo a tendência de alta, a tonelagem média por embarcação cresceu quase 9%, com o total de navios no período caindo 2,5%, apesar do crescimento geral da movimentação de cargas, reflexo previsto do aprofundamento do canal com o consequente aumento da tonelagem e da produtividade no Porto de Santos.

Na balança comercial, Santos teve crescimento de 4,7%, com US$ 35,4 bilhões de cargas comercializadas com o mercado externo, representando 24,2% do total brasileiro. As importações somaram US$ 17,6 bilhões, com alta de 6,6%, e as exportações atingiram US$ 17,8 bilhões , com ligeiro aumento de 1%.

Com o total apurado nos quatro primeiros meses mais a previsão para os demais, a expectativa aponta para o fechamento do ano em 100.192.000 toneladas de carga movimentada.




Data: 2012-06-04

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

  Portos do Brasil - NEWS

 Portos de Cabo Verde – News

 Portos de Moçambique – News

 Portos de Angola – News

 Portos de Portugal – News

 XII CONGRESSO DA APLOP | LUANDA, 2021 - Disponíveis todas as apresentações

 XII CONGRESSO DA APLOP | LUANDA, 2021 | Playlist com 23 vídeos no Youtube

 Acórdãos e Avisos da ANTAQ + Legislação avulsa

 Clipping com a actualidade dos portos brasileiros

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Alberto Bengue, Presidente da APANG

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Miguel Matabel

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Alcídio Nascimento

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Ted Lago

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Fátima Alves

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Nuno Araújo

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Lucas Rênio

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)