Início > Artigo > Malawi quer utilizar mais o porto moçambicano da Beira



Malawi quer utilizar mais o porto moçambicano da Beira


A presidente malawiana, Joyce Banda (na foto), disse que o seu Governo vai aproveitar, em pleno, as facilidades oferecidas pelo Porto da Beira, um dos maiores de Moçambique e que dá acesso ao mar a muitos países do hinterland.

Falando durante a sua visita àquela infra-estrutura económica, Banda reconheceu as vantagens oferecidas por este Porto ao seu país e disse fazer sentido, do ponto de vista económico, que o Malawi passe a centrar as suas atenções para esta infra-estrutura.

“Estamos a perder por não prestarmos muita atenção ao potencial existente neste porto”, disse Banda, acrescentando que “nós iremos fazer a nossa parte para aumentarmos os produtos que devem passar por este porto”.

Joyce Banda teceu essas considerações no Porto da Beira, um dos locais onde Ela escalou no quadro da sua visita de Estado a Moçambique, iniciada no Sábado último e que termina hoje. No Porto da Beira, ela percorreu os terminais de combustíveis, de contentores, de carga geral, entre outras facilidades.

Durante a visita, a Cornelder de Moçambique, empresa que opera o Porto da Beira, defendeu que esta é a infra-estrutura portuária mais próxima e mais barata para o Malawi, acontecendo o mesmo com o Zimbabwe, Zâmbia e parte da República Democrática do Congo (RDC), isso comparativamente a outros portos da região.

Em relação ao Malawi, o Porto da Beira dista a 812 quilómetros da capital económica malawiana, Blantyre, e a 950 quilómetros de Lilongwe, a capital politica. Contudo, o Porto de Durban, na Africa do Sul, a distância é de mais de dois mil quilómetros. Em relação ao Porto de Dar-Es- Salaam, na Tanzânia, a distância para Blantyre é de 2,031 quilómetros e 1,667 quilómetros para Lilongwe.

Actualmente, o Malawi é um dos maiores utilizadores do Porto da Beira, mas o nível de utilização desta infra-estrutura ainda é fraco e tende a reduzir, para determinados produtos.

Por exemplo, as exportações de algodão, fertilizantes, tabaco e trigo, através desta infra-estrutura, reduziram de 2010 para 2011, sendo o açúcar um dos poucos produtos cujas exportações cresceram de cerca de três mil toneladas métricas para 63,7 mil toneladas métricas.

Mas a Presidente malawiana manifestou a sua decisão de inverter este cenário, apostando no aumento da produção de culturas de rendimento e consequentemente incrementar as exportações, sendo o Porto da Beira a sua principal opção de transporte dessa mercadoria.

Segundo referiu, nos encontros até agora mantidos com as autoridades moçambicanas, incluindo com o Presidente Armando Guebuza, houve uma boa vontade do governo em trabalhar com o Malawi, principalmente no tocante ao aumento dos volumes de exportações através do Porto da Beira.

“O meu governo deve garantir que aproveitemos essa boa vontade ao máximo. Espero continuarmos a trabalhar juntos para o benefício dos nossos dois países”, disse Ela, sublinhando que “no Porto da Beira, o Malawi sai mais a ganhar que os outros países, porque a distância em si pode acelerar os volumes de exportações”.

Durante a visita ao Porto da Beira, a Cornelder de Moçambique encorajou o Governo malawiano a apostar nesta infra-estrutura no manuseamento dos seus produtos, argumentando ser a rota mais curta, segura e barata.

Além disso, esta companhia pretende, num futuro breve, aumentar a sua capacidade de manuseamento de carga, construir um terminal de açúcar, um terminal de carvão, um terminal de viaturas e um armazém de tabaco.

“Usando o Porto da Beira, o Malawi irá reduzir os custos do comércio, tornar a sua economia mais competitiva e reduzir o custo de vida dos malawianos”, segundo a Cornelder de Moçambique.

A Cornelder é uma empresa subsidiária da Cornelder Holdings, companhia baseada na Holanda, e que detém 67 por cento do Porto da Beira, sendo os remanescentes 33 por cento detidos pela empresa pública Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM).

FONTE




Data: 2012-05-18

Artigos relacionados:

  • Porto da Beira com novo armazém
  • Porto da Beira já recebeu 1 milhão de toneladas de carvão por via ferroviária
  • Porto da Beira encurta tempo de espera para carregamento de carvão
  • Linha do Sena terá maior capacidade até final do ano
  • Os 12 lagos mais belos do mundo
  • Alfândegas já arrecadaram 103 milhões de meticais através da JUE
  • Janela Única Electrónica segue para a Beira e Nacala
  • Energia e infra-estruturas: Janelas de investimento impressionam franceses
  • Governo rejeitou projecto de utilização de barcaças no Zambeze
  • Minas de Moatize com potencial para produzir 2,2 milhões de toneladas de carvão/ano
  • Navegação nos rios Chire e Zambeze alvo de estudos
  • Malawi insiste na viabilidade do porto de Nsanje
  • O porto que causou uma crise diplomática
  • Empresários da Região de Santarém querem ajudar cidade da Beira a tornar-se em centro de produção
  • Mota-Engil vence obras de 900 milhões de euros em África
  • Brasileira Vale faz primeiro transbordo de carvão de Moçambique em alto mar
  • Vale planeia investir US$ 7,7 bilhões em África
  • Brasileira Vale vai reabilitar linha férrea entre o Malawi e o porto de Nacala
  • Obras de protecção da costa da Beira arrancam este ano
  • Finlandesa Konecranes vai construir guindastes para o porto da Beira
  • Vale acorda linha férrea com o Malawi para exportar carvão a partir de Nacala
  • Governo concede a Zucula o poder de negociar concessão do terminal de carvão no porto da Beira
  • Necessárias novas infra-estruturas ferro-portuárias para escoar carvão de Moatize
  • Cidade da Beira avança com protecção da costa
  • No paraíso de Vasco da Gama
  • Porto da Beira duplicará carga processada até 2015
  • Porto da Beira recebe de novo navios de grande calado
  • Dragagem no porto da Beira em fase de conclusão

  •  Vídeo

    Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

     “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

     VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

     Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

     VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

     Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

     Mindelo e São Vicente com muita morabeza

     Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

     Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

     VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

     Porto de Luanda - 1955

     Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

     Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

    Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)