Início > Artigo > Porto de Cabinda | Angola



VIAJANDO PELA HISTÓRIA

Porto de Cabinda | Angola


Ao longo da vasta costa angolana que compreende cerca de 1500 quilómetros, existem vários portos naturais e com calados apreciáveis. Um destes portos é o de Cabinda, cuja história reservou uma originalidade ímpar.

A sua construção data de 1953, embora só em 1962 tenha sido elevado à categoria de porto comercial. Reza a história que as operações portuárias na Região de Cabinda começaram no ano de 1758, com o comércio de mercadorias efectivado através da Marinha Real Inglesa.

É certo que as principais cargas manuseadas no Porto de Cabinda após o ano de 1953 eram, a madeira, coconote, o café, e mineiros para além de atender também a transportação de passageiros.
A importância do Porto de Cabinda tem haver também com a ausência de rodovias e ferrovias que fizesse a interligação e integração da Província de Cabinda com as demais. Daí a transportação ser feita inclusive até hoje apenas de barco e avião.

O coconote que desde os tempos remotos sempre foi produzido a grande escala, servia para manter funcional a fabrica de sabão de Sassa Zaú e grande parte era transportado para Benguela com o mesmo fim. A madeira serviu durante longos anos para a construção de moradias um pouco pelas principais províncias de Angolana e também para as grandes metrópoles. O bago vermelho, uma das riquezas retiradas de Cabinda, mais concretamente dos municípios de Buco-Zaú e Belize, tinha como destino a América, fundamentalmente o Brasil, para onde também foram deportados muitos africanos.

A existência da cidade de Cabinda, cujo nome conscidentemente é o mesmo atribuído ao porto, tem origem segundo alguns historiadores da aglutinação das ultimas sílabas da palavra “Mafuca que nos antigos Reinos de Loango, Cacongo, e Ngoio era uma espécie de intendente geral do comercio e homem de confiança do Rei, que em nome deste ultimo tratava de todas as transacções comerciais. Outra palavra ou nome, que adicionado a sílaba “Ca- “ é o Binda - que era o nome do Mafuca daquela altura . Dai a palavra Cabinda.

E como as grandes concentrações populacionais, nasceram a volta dos grandes empreendimentos e dos locais onde facilmente se concentravam quer mercadorias, e agentes de importação em suma muita gente. o Porto de Cabinda não fugiu a esta regra, não sendo por acaso que, dentre as primeiras grandes construções que existem a décadas de anos, na cidade de Cabinda e mesmo nos outros municípios, o destaque vai para a Igreja católica Santiago de Lândana, nas proximidades da baia por sinal uma das mais antigas do continente berço da humanidade, a igreja Rainha do mundo no município sede, e quatro edifícios construídos pelos Holandeses, num estilo arquitectónico pouco comum em Angola. Ferro e pedra. Para quem conhece esta parcela, estamos a falar do edifício onde actualmente funciona a biblioteca municipal, o edifício onde funciona a Aliance Francesa, o palácio do Governo e também o edifício por detrás da Igreja Evangélica.

FONTE




Data: 2011-11-04

Artigos relacionados:

  • Porto de águas profundas será construído na localidade de Caio
  • Porto de Cabinda pronto em Novembro

  •  Vídeo

    Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

     VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

     Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

     VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

     Mindelo e São Vicente com muita morabeza

     Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

     Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

     VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

     VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Francisca Chambal

     VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Robledo Gioia

     VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

     VI CONGRESSO DA APLOP - Abertura do Painel I - Lídia Sequeira

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Adriano Rosamonte

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Augusto Fernando Cabi

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Madalena Neves

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Fernando Nunes da Silva

     Congresso Intercalar Portos CPLP - Rio de Janeiro – Domingos Fortes (1)

     “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”- Matos Fernandes (1)

     IV Encontro de Portos da CPLP – Menção Honrosa a Lima Torres

     IV Encontro de Portos da CPLP - Sessão de encerramento - Franklim Spencer

     “GEOPOLÍTICA DO MAR” - Carlos Manuel Mendes Dias (1)

     Novo Porto do Dande - Domingos Fortes (1)

     IV Encontro de Portos da CPLP - Franklin Spencer

     «Há muito potencial de crescimento nas relações comerciais Portugal/Brasil» (1)

     Porto de Luanda - 1955

     III Encontro de Portos da CPLP - Adalmir José de Sousa

     III Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Mesa de Honra

     III Encontro de Portos da CPLP - Estudo de mercado - (13) – Debate

     Constituição da APLOP

    Constituição da APLOP

    Foto de família