Início > Artigo > Desafio da diversificação de portos é objecto de estudo Deloitte-ESPO



Desafio da diversificação de portos é objecto de estudo Deloitte-ESPO


Um estudo conjunto Deloitte-ESPO identifica quatro categorias de tendências que estão transformando a paisagem portuária: ambiental, tecnológica, geopolítica e demográfica. Com base nessas categorias, o estudo, focado nas das autoridades portuárias europeias, identifica o que está em transformação.

“O objetivo do estudo é entender o que impulsiona as decisões dos portos hoje, como os portos vão se adaptar e navegar por este mundo em transformação e o que é necessário para otimizar esse processo, para que os portos na Europa possam continuar a ser um catalisador de crescimento sustentável, inteligente e resiliente ”, comentou Isabelle Ryckbost, secretária geral da ESPO (na foto) .

O estudo, 'Portos europeus na encruzilhada de transições', é baseado em negociações com 55 líderes portuários europeus. O documento concluiu que, em geral, as autoridades portuárias na Europa estão assumindo novas funções adicionais além de suas funções tradicionais. Essas funções podem abranger trabalho ambiental, sustentabilidade, economia azul e circular.

Embora tenham se tornado desenvolvedores comerciais e proprietários estratégicos ativos, seu papel público e atividades voltadas para a missão continuam sendo importantes e estão aumentando.

A maior variedade de funções, responsabilidades e partes interessadas implica uma maior complexidade, o que requer mais do que nunca um forte “gestor” portuário como parceiro neutro e facilitador na cadeia de valor e no ecossistema portuário mais amplo.

A diversidade, a complexidade e a escala dos desafios que se avizinham impulsionam os portos a cooperar com outros portos, desde coalizões em um único projeto até fusões plenas. Mas a cooperação com outras partes interessadas também será crucial para encontrar soluções viáveis para questões como tornar o setor marítimo mais verde ou a digitalização do ecossistema portuário. Ao se associar, os portos podem alavancar um conhecimento externo ou reduzir o risco de certos investimentos.

Receitas diminuindo

O estudo também identifica algumas possíveis tensões. Em primeiro lugar, embora o papel do órgão gestor do porto esteja se expandindo, as receitas frequentemente estão diminuindo. Em segundo lugar, os portos são ativos pesados e os investimentos em infraestrutura têm prazos muito longos devido a licitações públicas, financiamento e procedimentos de autorização. Isso torna particularmente desafiador para os portos responder e reagir rapidamente às realidades que mudam da noite para o dia em tempos de perspectivas de mercado muito incertas.

O relatório sugere uma oportunidade para revitalizar a relação porto-cidade, uma vez que as novas funções das autoridades portuárias, inclusive no campo da economia circular e das energias renováveis, os tornam um parceiro muito relevante para o 'esverdeamento' da cidade e os tornam atraentes para empregos de diferentes perfis na cidade.

fonte


 



Data: 2021-07-17

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

  Portos do Brasil - NEWS

 Portos de Cabo Verde – News

 Portos de Moçambique – News

 Portos de Angola – News

 Portos de Portugal – News

 XII CONGRESSO DA APLOP | LUANDA, 2021 - Disponíveis todas as apresentações

 XII CONGRESSO DA APLOP | LUANDA, 2021 | Playlist com 23 vídeos no Youtube

 Acórdãos e Avisos da ANTAQ + Legislação avulsa

 Clipping com a actualidade dos portos brasileiros

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Alberto Bengue, Presidente da APANG

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Miguel Matabel

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Alcídio Nascimento

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Ted Lago

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Fátima Alves

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Nuno Araújo

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Lucas Rênio

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)