Início > Artigo > As Misteriosas Pirâmides de Yonaguni



JAPÃO

As Misteriosas Pirâmides de Yonaguni


O monumento Yonaguni é uma enorme formação rochosa submarina ao largo da costa de Yonaguni, localizada no sul das ilhas Ryukyu (sudoeste da Ilha de Okinawa) no Japão e somente a 125 km de distância de Taiwan. Essas ruínas submersas tem deixado muitas pessoas intrigadas a respeito da sua origem. Será que realmente são um fenômeno da natureza ou será que foram realmente feitas pelo homem?

As ruínas estão situadas a poucos quilómetros da ilha de Yonaguni-jima (与那国島 / よなぐにじま), a ilha mais ocidental do Japão, como uma área de 28,88 km² e população de 1.745 habitantes. As ruínas possuem cerca de 200 metros de oeste ao leste, e cerca de 140 metros de norte ao sul. Seu ponto mais alto mede 26 metros.

As ruínas submersas de Yonaguni foram encontradas pela primeira vez no ano de 1986 por um mergulhador japonês chamado Kihachiro Aratake, enquanto mergulhava a uma profundidade de 25 metros abaixo do nível do mar. E o mais inacreditável é que estima-se que essas ruínas tenham entre 5 a 8 mil anos.

Outros estimam que a estrutura é muito mais antiga – incluindo Teruaki Ishii, professor de geologia na Universidade de Tóquio, que determinou que a submersão ocorreu no final da última era glacial – ou seja a cerca de dez mil anos atrás (sendo portanto duas vezes mais antiga que as pirâmides no Egito).

Outros acreditam que as ruínas fazem parte do lendário continente perdido de Mu e que foi afundada a mais de 2 a 4 mil anos atrás devido a um forte terremoto.

Enfim, existe fortes indícios de que no leste asiático realmente existiu uma antiga e avançada civilização muito antes de qualquer outra. Por isso os monumentos de Yonaguni tem sido chamados de Cidade Perdida ou Atlantis Japonesa.

Quanto à sua origem, existe muita especulação à respeito. Enquanto muitos arqueólogos e geólogos acreditam que é uma formação rochosa natural, moldada pela Natureza, outros defendem a ideia de que algumas de suas características foram feitas pelo homem, tanto que são comparadas com as ruínas incas no Peru.

Muitos hieróglifos desconhecidos tem sido encontrados aos arredores das ruínas submersas, inclusive o que parece ser uma escultura de uma cabeça humana com vários metros de altura, próximo de uma das estruturas em forma de pirâmide. As inúmeras formas geométricas de muitas das estruturas nos levam a crer que ali realmente viveu uma civilização muito antiga e desenvolvida.

As ruínas estão situadas de 25 a 100 metros de profundidade e dentre as estruturas rochosas que mais impressionam estão várias pirâmides, pilares enormes, plataformas, escadas esculpidas, estradas formadas a partir de grandes pedras.

Uma das maiores pirâmides possui 600 metros de largura e 30 metros de altura e dizem ser semelhante às pirâmides construídas pelos maias e astecas, com cinco níveis de elevação, alinhados conforme os pontos cardeais.

Mitos, lendas e histórias sobre Yonaguni

Masaaki Kimura, professor japonês de biologia marinha, mergulhou no local por quase 20 anos e ele sempre diz que toda vez que volta de um passeio em torno das ruínas submersas de Yonaguni, ele volta acreditando que realmente se trata de restos de uma civilização muito antiga, da Idade da Pedra.

Há ainda histórias e lendas mais mirabolantes que dizem que as ruínas foram construídas por alienígenas. Outros dizem que a área está localizada no Triângulo das Bermudas do Oriente, uma área de grande perigo e atividade sobrenatural.

Pode parecer absurdo, mas há muitas lendas que dizem que inúmeros navios desapareceram sem deixar vestígios dentro desta área, além de relatos sobre a presença de UFO, ou seja de extraterrestres na região. Enfim…

fonte
 




Data: 2021-05-15

Artigos relacionados:

  • Sete cidades antigas submersas pelo mar
  • A China tem a sua própria Atlântida, uma cidade perdida e submersa
  • Port Royal, a cidade perdida dos piratas

  •  Vídeo

    Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

     VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

     Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

     VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

     Mindelo e São Vicente com muita morabeza

     Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

     Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

     VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

     VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Francisca Chambal

     VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Robledo Gioia

     VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

     VI CONGRESSO DA APLOP - Abertura do Painel I - Lídia Sequeira

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Adriano Rosamonte

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Augusto Fernando Cabi

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Madalena Neves

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Fernando Nunes da Silva

     Congresso Intercalar Portos CPLP - Rio de Janeiro – Domingos Fortes (1)

     “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”- Matos Fernandes (1)

     IV Encontro de Portos da CPLP – Menção Honrosa a Lima Torres

     IV Encontro de Portos da CPLP - Sessão de encerramento - Franklim Spencer

     “GEOPOLÍTICA DO MAR” - Carlos Manuel Mendes Dias (1)

     Novo Porto do Dande - Domingos Fortes (1)

     IV Encontro de Portos da CPLP - Franklin Spencer

     «Há muito potencial de crescimento nas relações comerciais Portugal/Brasil» (1)

     Porto de Luanda - 1955

     III Encontro de Portos da CPLP - Adalmir José de Sousa

     III Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Mesa de Honra

     III Encontro de Portos da CPLP - Estudo de mercado - (13) – Debate

     Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

    Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)