Início > Artigo > Em 1985, um navio quebra-gelo e música clássica salvaram 2.000 baleias-beluga



VIAJANDO PELA HISTÓRIA

Em 1985, um navio quebra-gelo e música clássica salvaram 2.000 baleias-beluga


Em 1985, várias baleias beluga foram avistadas na Península de Chukchi, a península mais oriental da Ásia. À primeira vista, os residentes locais ficaram contentes com o avistamento dos animais, mas demoraram pouco tempo a perceber que nem tudo estava bem.

Segundo o IFL Science, uma alteração no clima havia criado um enorme pedaço de gelo espesso, com cerca de quatro quilómetros de extensão, que ficou localizado entre os buracos de ar das baleias e o oceano aberto.

Os mamíferos marinhos eram incapazes de nadar esta distância sem ficar sem oxigénio e os escassos orifícios de ar não chegavam para as baleias sobreviverem. Os residentes esforçaram-se para manter os animais nutridos, mas, com a chegada do inverno, esperavam também a vinda de um milagre.

Nessa altura, a Rússia presenteou-se com um navio quebra-gelo finlandês, o maior e mais poderoso da época. Estes navios são conhecidos por cavar gelo espesso a grandes altitudes onde os barcos normais não se atrevem a aventurar. Uma das suas características mais vistosas era uma central de energia elétrica a diesel.

A Rússia acabou por alistar o Moskva na missão de resgate para salvar as baleias beluga, mas sabia que precisaria de agir rapidamente se quisesse libertá-las a tempo.

Quando o navio chegou, a situação era pior do que imaginavam e a missão acabou por ser cancelada pelo capitão do navio. Descontente, a tripulação decidiu que tinha de agir: enquanto quebravam o gelo, helicópteros largavam peixes para tentar alimentar as baleias que ainda permaneciam vivas.

Demorou vários dias, mas o Moskva conseguiu abrir um caminho para os animais. Apesar da boa notícia, as baleias – cansadas e traumatizadas pelo navio – eram incapazes de se mover.

Foi então que um membro da tripulação teve uma ideia fora da caixa com potencial para salvar os animais: a música poderia ajudar na missão de resgate.

Com poucas opções, a tripulação decidiu pôr em prática a ideia e o Moskva tornou-se um altifalante, ainda que temporariamente. Todos os tipos de música foram tocados na paisagem gelada, mas foi o clássico que provou ser a isca mais eficaz.

As baleias aproximaram-se do barco para investigar a melodia e, quilómetro a quilómetro, o Moskva conduziu os animais para fora da sua “prisão”.

ZAP


 



Data: 2021-05-03

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

  Portos do Brasil - NEWS

 Portos de Cabo Verde – News

 Portos de Moçambique – News

 Portos de Angola – News

 Portos de Portugal – News

 XII CONGRESSO DA APLOP | LUANDA, 2021 - Disponíveis todas as apresentações

 XII CONGRESSO DA APLOP | LUANDA, 2021 | Playlist com 23 vídeos no Youtube

 Acórdãos e Avisos da ANTAQ + Legislação avulsa

 Clipping com a actualidade dos portos brasileiros

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Alberto Bengue, Presidente da APANG

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Miguel Matabel

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Alcídio Nascimento

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Ted Lago

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Fátima Alves

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Nuno Araújo

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Lucas Rênio

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)