Início > Artigo > Terminal Marítimo de Cabinda inicia operações em Julho deste ano



ANGOLA

Terminal Marítimo de Cabinda inicia operações em Julho deste ano


O Ferryboat, embarcação para o transporte de passageiros e carga, nas rotas Luanda/Soyo/Cabinda e vice-versa, começa a operar efectivamente em Julho deste ano, mês previsto também para a conclusão das obras do quebra-mar e da rampa de atracagem.

A garantia é do ministro dos transportes, Ricardo de Abreu (na foto), segundo o qual esse serviço reveste-se de importância estratégica, por vir colmatar uma “interrupção geográfica” que obriga o Executivo a criar novos mecanismos para o acesso à essa região mais ao Norte de Angola, por via marítima.

Falando à margem da visita do Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, disse existirem esforços conjuntos com equipas envolvidas no projecto para, rapidamente, se dar início a operacionalidade do Terminal e do Ferryboat para o transporte de carga e de passageiros, no referido mês.

Para a concretização deste objectivo, frisou, o MINTRANS conta com apoios de várias entidades dos departamentos e serviços do Ministério das Finanças e do Tribunal de Contas, que têm um papel crucial para a disponibilização dos recursos para assegurar o visto de grande parte dos contratos, com vista a colocar a infra-estrutura funcional em benefício das populações da província.

O Terminal Marítimo de Passageiros de Cabinda é uma infra-estrutura concebida para descongestionar a mobilidade de passageiros de Cabinda para o resto do país, através do “Ferryboat-Cabinda”, que já se encontra no Porto de Luanda, desde Dezembro de 2020.

A embarcação, em específico, tecnicamente tem cerca de 48 metros de comprimentos, capacidade para 60 passageiros, nove contentores e dez viaturas, para além de cargas diversas. Vai circular 20,5 milhas náuticas/hora de velocidade.

O projecto do terminal, cuja implementação iniciou em 2017, contempla uma área protocolar, sala de embarque para 150 passageiros, igual número para a sala desembarque, uma sala VIP, zonas de bagagens, área técnica e instalações sanitárias e elevadores de acesso a todas áreas.

Quanto ao “Quebra-Mar”, é a principal “armadura” para proteger todas as infra-estruturas conexas, das calemas.

A obra em si do Terminal Marítimo traduz-se num Cais, de 340 metros de comprimento e 40 metros de largura, a rampa de atracagem do RO/RO (Ferryboat) com 30 metros de comprimento e 25 metros de largura, e o Cais de passageiros com 300 metros de comprimento e 12 de largura.

fonte


 



Data: 2021-04-06

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

  Portos do Brasil - NEWS

 Portos de Cabo Verde – News

 Portos de Moçambique – News

 Portos de Angola – News

 Portos de Portugal – News

 XII CONGRESSO DA APLOP | LUANDA, 2021 - Disponíveis todas as apresentações

 XII CONGRESSO DA APLOP | LUANDA, 2021 | Playlist com 23 vídeos no Youtube

 Acórdãos e Avisos da ANTAQ + Legislação avulsa

 Clipping com a actualidade dos portos brasileiros

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Alberto Bengue, Presidente da APANG

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Miguel Matabel

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Alcídio Nascimento

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Ted Lago

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Fátima Alves

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Nuno Araújo

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Lucas Rênio

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família