Início > Artigo > Agora, está a enferrujar no porto de Filadélfia



O SS UNITED STATES BATEU TODOS OS RECORDS...

Agora, está a enferrujar no porto de Filadélfia


Outrora símbolo da indústria naval norte-americana, o SS United States, o maior navio transatlântico construído nos Estados Unidos, bateu todos os records. Agora, está a enferrujar no porto de Filadélfia.

O transatlântico SS United States ainda detém o recorde de velocidade para cruzar o Atlântico. Lançado em 1952, o navio tinha dupla “identidade”: civil e militar, já que dois terços dos 78 milhões de dólares necessários para a sua construção foram subsidiados pela Marinha dos Estados Unidos.

De acordo com a CNN, o objetivo do governo norte-americano era que o transatlântico pudesse ser requisitado pelos militares e convertido num navio de transporte de tropas com capacidade para transportar até 14 mil soldados.

Com 330 metros de comprimento, o navio tinha uma potência colossal de quase 250 mil hp, que o fazia atingir uma velocidade de mais de 38 nós.

Apesar da sua estrutura leve, o navio foi projetado para ser praticamente indestrutível e, para minimizar o risco de incêndio, foi construído de acordo com os padrões da Marinha norte-americana: o uso de madeira foi totalmente proibido, a estrutura interna da embarcação foi protegida por painéis de amianto e os cabides nas cabines luxuosas eram feitos de alumínio.

Para manter as especificações do navio em segredo, a Marinha dos Estados Unidos construiu a quilha de 183 mil peças numa doca. A construção da estrutura incluiu a maior quantidade de alumínio usada até agora numa embarcação de alto mar.

O SS United States foi equipado com os motores a vapor mais potentes de um navio comercial. Os 250 mil hp operavam quatro hélices de liga de bronze de manganês com um diâmetro de 5,5 metros.

A CNN escreve ainda que o navio era capaz de transportar combustível suficiente para viajar 10 mil milhas náuticas (19 mil quilómetros) a uma velocidade de 35 nós (65 km/h).

Além do recorde de velocidade, o SS United States também é o maior transatlântico construído inteiramente nos Estados Unidos.

Apesar do projeto original, o navio foi utilizado exclusivamente para corridas civis até 1969, altura em que foi vendido. Os donos tentaram torná-lo lucrativo e, como falharam nessa missão, colocaram-no à venda “em pedaços”. O que sobrou do SS United States está atracado, desde 1996, na doca 82 no rio Delaware, em Filadélfia.

A SS United States Conservancy foi criada em 2009 com o intuito de angariar fundos para a restauração daquele que é, ainda, o símbolo da força da indústria naval dos Estados Unidos. A imobiliária nova-iorquina RXR Realty envolveu-se no projeto com a intenção de restaurar a embarcação e transformá-la num hotel flutuante e centro cultural.

O projeto RXR também inclui a criação de um museu onde os visitantes podem aprender sobre a história do navio e explorar a arte, inovação e design de meados do século XX. Apesar de a pandemia de covid-19 ter diminuído o ritmo do progresso, os planos mantêm-se em cima da mesa.

ZAP //


 



Data: 2021-03-15

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Francisca Chambal

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Robledo Gioia

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Abertura do Painel I - Lídia Sequeira

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Adriano Rosamonte

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Augusto Fernando Cabi

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Madalena Neves

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Fernando Nunes da Silva

 Congresso Intercalar Portos CPLP - Rio de Janeiro – Domingos Fortes (1)

 “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”- Matos Fernandes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP – Menção Honrosa a Lima Torres

 IV Encontro de Portos da CPLP - Sessão de encerramento - Franklim Spencer

 “GEOPOLÍTICA DO MAR” - Carlos Manuel Mendes Dias (1)

 Novo Porto do Dande - Domingos Fortes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP - Franklin Spencer

 «Há muito potencial de crescimento nas relações comerciais Portugal/Brasil» (1)

 Porto de Luanda - 1955

 III Encontro de Portos da CPLP - Adalmir José de Sousa

 III Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Mesa de Honra

 III Encontro de Portos da CPLP - Estudo de mercado - (13) – Debate

 Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012

Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012