Início > Artigo > Cabo Verde aposta em transporte marítimo nas ligações entre ilhas do arquipélago



Cabo Verde aposta em transporte marítimo nas ligações entre ilhas do arquipélago


O Ministro dos Transportes cabo-verdiano assegurou que o novo modelo de transportes marítimos interilhas será uma alternativa em breve aos transportes aéreos, anunciando que o primeiro navio no âmbito da renovação da frota partiu dia 5 da Coreia do Sul.

O transporte marítimo entre ilhas, de passageiros e carga, foi assumido em agosto pela CV Interilhas, empresa liderada pela portuguesa Transinsular (grupo ETE), vencedora do concurso público internacional para a concessão, de 20 anos, lançado pelo Governo cabo-verdiano.

“Está muito melhor do que estava antes”, afirmou o ministro José Gonçalves (na foto), questionado pelos jornalistas à margem do fórum económico “Mar e Inovação, ‘drivers’ da Economia Global”, organizado na capital cabo-verdiana pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e pela embaixada de Portugal.

Face aos resultados dos primeiros três meses de operação da CV Interilhas, o Governo de Cabo Verde admite que anualmente poderão ser transportados 600.000 passageiros (além de carga e viaturas) entre as ilhas do arquipélago, um máximo histórico e acima do pico de 480.000 passageiros que utilizaram as ligações aéreas, registado em 2018.

“E certamente vamos criar as condições para que os transportes marítimos venham a ser uma alternativa aos transportes aéreos, pela frequência, pela regularidade e pela previsibilidade”, enfatizou José Gonçalves, destacando que o novo modelo introduziu novas ligações marítimas, como para as ilhas do Sal e da Boavista.

No âmbito da renovação da frota – de cinco navios -, o novo ‘ferryboat’ que o grupo ETE (Transinsular) encomendou na Coreia do Sul, disse o governante, partiu hoje dos estaleiros, por via marítima, com destino a Cabo Verde.

“Aproximadamente dentro de 40 dias estará cá, dependendo das condições de mar”, disse José Gonçalves.

O navio deverá entrar ao serviço no início de 2020 e terá capacidade para mais de 450 passageiros e 50 viaturas ligeiras, segundo a empresa, para fazer especificamente a ligação entre as ilhas de Santo Antão e São Vicente.

Esta concessão dos transportes marítimos interilhas em Cabo Verde, que passou a ser assumida em 15 de agosto pela nova empresa CV Interilhas (participada em 51% pela Transinsular e 49% por armadores cabo-verdianos), resultou de um concurso público internacional.

A CV Interilhas transportou no primeiro trimestre de operação (até 15 de novembro) 146.000 passageiros e 11.000 viaturas em 1.200 ligações entre todos as ilhas de Cabo Verde, 25% acima do registado no mesmo período de 2018.

Em entrevista à Lusa em novembro, o administrador-executivo da CV Interilhas admitiu que há aspetos a melhorar, mas lamentou a “polémica” muitas vezes “injusta” envolvendo a empresa, do concurso às sistemáticas queixas, sobretudo nas redes sociais, de passageiros descontentes com o serviço.

“Acreditamos muito neste projeto, que é muito inteligente e sem qualquer conotação política e que, acho, tem condições para servir melhor a população. É isso que nos atrai e estimula todos os dias, apesar de tanta polémica, muitas vezes, consideramos, um pouco injusta. Mas que temos de as ouvir e tentar aprender com elas [queixas]”, apontou o administrador-executivo da CV Interilhas, Paulo Lopes.

O responsável admitiu que “ainda há muito para melhorar” neste novo modelo, que conta com cinco navios afretados pela CV Interilhas, sobretudo a armadores cabo-verdianos, mas lamenta as queixas.

“É uma questão que nos colocamos todos os dias. A leitura que fazemos disso tem a ver, provavelmente, com as expectativas do utilizador, do cliente. Nós estamos em crer que houve uma grande melhoria do serviço, ao nível da pontualidade, do número de ligações. Fazemos mais do que estavam a ser feitas anteriormente e para ilhas que não estavam servidas antes”, explicou.

fonte
 


 



Data: 2019-12-10

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família