Início > Artigo > Docas do Rio visita Centro VTS do Porto do Açu



BRASIL

Docas do Rio visita Centro VTS do Porto do Açu


Uma comitiva da Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), visitou o Porto do Açu para conhecer as instalações do Centro VTS (Serviço de Tráfego de Embarcações). O Açu foi o primeiro porto do país a contar com o sistema que é usado no monitoramento do tráfego aquaviário do complexo desde 2015. O objetivo da Companhia Docas foi absorver a experiência do Porto do Açu na implantação e operação do VTS para levar as melhores práticas de monitoramento para os portos que administra.

A comitiva, liderada pelo gestor de VTMIS (Sistema de Gerenciamento e Informação do Tráfego de Embarcações), Marcelo Santiago Villas-Bôas, responsável pelo Grupo de Trabalho que estuda a instalação do sistema nos portos administrados pela CDRJ, foi composta também pelo gerente de Acesso Aquaviário do Porto do Rio de Janeiro, Roque Pizarroso, entre outros especialistas e técnicos portuários. O sistema, já em fase de implantação também pelo Açu, é uma ampliação do VTS. Por isso, o interesse de ambas as partes neste encontro de troca de experiências.

“Como primeiro porto brasileiro a contar com o VTS, o Açu é o exemplo ideal para servir de base para nossos trabalhos na revisão dos anteprojetos dos VTMIS dos Portos do Rio de Janeiro/Niterói e de Itaguaí/Angra. A ideia é levantar sugestões para a definição do melhor layout para o nosso Centro de Controle Operacional, identificando os sucessos e os ajustes necessários constatados ao longo da operação do Porto do Açu”, afirmou Villas-Bôas.

Além da visita ao Centro VTS, a empresa Porto do Açu apresentou os serviços prestados por parceiros estratégicos para o funcionamento do sistema atual de monitoramento, tais como a ferramenta de integração de dados, o fornecimento de informações meteoceanográficas e a manutenção dos auxílios da navegação, além do pronto atendimento a emergências.

O gerente de Navegação da Porto do Açu, Mario Rodrigues, reforçou que o Açu é o único porto privado do Brasil a contar com o VTS e que é motivo de orgulho para a empresa servir de exemplo para a Companhia Docas: “É com satisfação que abrimos as portas do nosso Centro VTS para a troca de experiências e expertises com a CDRJ. O VTS é um diferencial para a segurança marítima e, por conta de sua operação ininterrupta, já evitou acidentes e auxiliou a Marinha na divulgação de informações de busca e salvamento”, ressaltou Mario Rodrigues. “A contribuição do VTS para o ordenamento do tráfego aquaviário no Açu também pode ser traduzida em números: no último ano, o sistema contribuiu para a realização de aproximadamente 6.300 manobras de entrada e saída de navios sem acidentes”, pontuou.

Sobre o VTS - A principal função do Centro VTS do Porto do Açu é garantir a segurança do tráfego aquaviário. O Serviço conta com um radar que, interligado ao sistema AIS (Automatic Identification System), monitora todas as embarcações destinadas ao porto. Este radar pode alcançar até 25 milhas náuticas (aproximadamente 48 km de distância). Além disso, o VTS opera um sistema de comunicação via rádio VHF com todas as embarcações e navios que entram e saem dos terminais e possui um sistema de câmeras de alta-definição, que possibilita um alcance de até 4km de distância.
 


 



Data: 2019-08-23

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Francisca Chambal

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Robledo Gioia

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Abertura do Painel I - Lídia Sequeira

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Adriano Rosamonte

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Augusto Fernando Cabi

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Madalena Neves

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Fernando Nunes da Silva

 Congresso Intercalar Portos CPLP - Rio de Janeiro – Domingos Fortes (1)

 “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”- Matos Fernandes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP – Menção Honrosa a Lima Torres

 IV Encontro de Portos da CPLP - Sessão de encerramento - Franklim Spencer

 “GEOPOLÍTICA DO MAR” - Carlos Manuel Mendes Dias (1)

 Novo Porto do Dande - Domingos Fortes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP - Franklin Spencer

 «Há muito potencial de crescimento nas relações comerciais Portugal/Brasil» (1)

 Porto de Luanda - 1955

 III Encontro de Portos da CPLP - Adalmir José de Sousa

 III Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Mesa de Honra

 III Encontro de Portos da CPLP - Estudo de mercado - (13) – Debate

 Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012

Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012