Início > Artigo > Já existe software para acabar com a pesca acessória



Já existe software para acabar com a pesca acessória


Com o objectivo de diminuir as capturas acessórias de espécies, de que resulta a morte de algumas que estão muitas vezes em vias de extinção, uma equipa de cientistas desenvolveu um software inteligente, denominado EcoCast, que, se for actualizado diariamente, permite identificar áreas de conservação. Uma identificação que é naturalmente difícil actualmente devido ao dinamismo do fundo marinho, resultante da ondulação, das marés e dos movimentos tectónicos.

Da autoria de Elliott Hazen, cientista do National Oceanic & Atmospheric Association (NOAA), dos Estados Unidos, e de uma equipa de outros investigadores, o software poderá ser ainda mais avançado, pois a equipa está a desenvolver uma aplicação para smartphones onde os dados, dinâmicos e em tempo real, poderão ser consultados. Os resultados do trabalho desta equipa foi publicado na revista Science Advance e o equipamento já está a ser usado por pescadores em certas zonas da Califórnia, nos Estados Unidos.

A diminuição de capturas de espadarte (espécie que serviu de cobaia ao desenvolvimento deste software) nos últimos anos, de 2.198 toneladas métricas, em 1985, para 176 toneladas métricas, em 2017, pode dever-se bastante à utilização de redes de malha que capturam inclusivamente espécies que não pretendem, como as tartarugas-marinhas do Pacífico, os tubarões-azuis e os leões-marinhos californianos, espécies em vias de extinção. Assim, o estudo, que teve em conta a temperatura da água, a profundidade da água, a turbulência e a quantidade de clorofila A (substituto para a quantidade de comida na área) foi levado a cabo para melhorar a sustentabilidade das espécies.

“Não se trata apenas de proteger espécies ameaçadas”, explica Gary Burke, pescador da Califórnia e membro dos pescadores comerciais de Santa Bárbara. “Os pescadores não querem as capturas acessórias. Até porque degrada o equipamento, que é caro. E o EcoCast, tendo em consideração uma série de variáveis ​​oceanográficas, possui um mapa que destaca áreas onde os pescadores provavelmente encontrarão altas concentrações de espécies-alvo e não espécies protegidas que não querem capturar”, conclui.

fonte


 



Data: 2018-06-14

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família