Início > Ambiente

MINDELO, CABO VERDE

Tartaruga 3D na Avenida Marginal

Trata-se de uma iniciativa da Associação Ambiental Biosfera 1 em parceria com a ENAPOR, que pretende chamar a atenção para a problemática do lixo nas praias e para a preservação da natureza e das espécies marinhas.
A inauguração da escultura em 3D contou com a presença da Administradora Executiva da ENAPOR, Dra. Eugénia Soares, e foi presidida pelo Ministro da Economia Marítima, Dr. Paulo Veiga.

A Grande Barreira de Coral corre o risco de sofrer mais um branqueamento

O branqueamento dos recifes de coral é um fenómeno que ocorre quando os corais estão doentes ou morreram. A Grande Barreira de Coral tem sofrido branqueamentos em massa nos últimos cinco anos e teme-se que este ano venha a sofrer outro.

Jovens cabo-verdianos limpam praias e transformam vidro em areia

A população de Rincão, no norte da ilha cabo-verdiana de Santiago, estava habituada a deitar todo o lixo na natureza, mas agora passa os dias a recolher garrafas de vidro para transformar em areia, numa fábrica instalada na aldeia.

A fábrica de reciclagem de vidro faz parte do projeto denominado ‘Raiz Azul’, financiado pela The Darwin Initiative, do Reino Unido, e foi instalada em Rincão, aldeia piscatória situada no litoral oeste do concelho de Santa Catarina de Santiago.

Por que é que as baleias e os golfinhos encalham?

Sempre ocorreram encalhes em massa de baleias e golfinhos. Todos os anos, cerca de dois mil mamíferos marinhos morrem assim no mundo. E nem sempre as causas são naturais.

A PARTIR DE 2021

Sacos plásticos vão deixar de ser usados em Moçambique

Moçambique vai banir o uso de saco plástico dentro do território nacional. Para o efeito o Ministério da Terra e Ambiente reuniu com a sociedade civil, académicos, sector privado e vários sectores do Estado para partilhar o conteúdo da proposta de regulamento de banimento do plástico que se espera venha a vigorar a partir de 2021, depois da sua aprovação.

QUARTO ESTUDO DE GASES DE EFEITO ESTUFA DA IMO

Emissões marítimas aumentarão perto de 50% até 2050, em relação a 2018

As emissões do transporte marítimo de gases de efeito estufa aumentaram de 977 milhões de toneladas em 2012 para 1.076 milhões de toneladas em 2018 (aumento de 9,6%). A intensidade de carbono do transporte marítimo melhorou cerca de 11% nesse período, mas o crescimento da atividade foi maior que os ganhos de eficiência.

Nas próximas décadas, projeta-se que as emissões aumentem em 50% até 2050, em relação a 2018, apesar de mais ganhos de eficiência, pois a demanda por transporte deverá continuar crescendo. Embora os impactos da pandemia de Covid-19 provavelmente causem um declínio nas emissões em 2020, não se espera que eles afetem significativamente as projeções para as próximas décadas.

Mamíferos e aves mostram as áreas marinhas que devem ser protegidas na Antártida

No contexto das alterações climáticas, é essencial identificar as regiões do planeta que devem ser protegidas. Isto é difícil de fazer nos oceanos, particularmente nas partes mais remotas, como no oceano Antártico. Um estudo internacional, no qual participou José Xavier, cientista polar da Universidade de Coimbra (UC), fornece, pela primeira vez, um mapa das zonas de elevada diversidade na Antártida que precisam ser preservadas.

BRASIL

Porto do Rio de Janeiro regista salto no ranking de desempenho ambiental da Antaq

Na edição do Índice de Desempenho Ambiental (IDA) referente ao ano de 2019, divulgado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), o Porto do Rio de Janeiro ganhou destaque entre os portos públicos por ter saltado da 30.ª posição em 2018 para a 23.ª posição em 2019. Na avaliação, o porto somou 57,68 pontos, 25 a mais em relação ao índice obtido em 2018.

Corais em risco «vestem-se» de cores brilhantes para se salvarem

Quando sentem uma temperatura anormal no mar, os corais reagem expelindo pequenas algas que vivem nos seus tecidos. Porém, nem todos ficam sem cor. Aliás, alguns revestem-se de cores néon e brilhantes.

Cientistas identificam a região com o ar mais limpo à face da Terra

Uma equipa de cientistas da Universidade Estadual do Colorado (EUA) identificou a região atmosférica que possui o ar mais limpo à face da Terra.

Os especialistas, liderados pela professora Sonia Kreidenweis, descobriram que a camada limite do ar que alimenta as nuvens mais baixas sobre o Oceano Antártico permanece quase totalmente inalterado pela atividade Humana, conta o portal Tech Explorist.

O ar desta região é prístino, quase totalmente livre de partículas poluentes resultantes de atividades antropogénicas ou transportadas de outras regiões distantes, detalharam os cientistas na nova investigação, cujos resultados foram recentemente publicados na revista científica especializada Proceedings of the National Academy of Sciences.

Choveram cristais para tornar as nuvens mais claras (e isso pode salvar a Grande Barreira de Coral)

Uma equipa de investigadores realizou um teste de “clareamento das nuvens”, para testar se o reflexo da energia do Sol pode ajudar a limitar os danos na Grande Barreira de Coral.

Em apenas cinco anos, a Grande Barreira de Coral está a viver o terceiro grande evento de branqueamento em massa. Para mitigar este problema, uma equipa de cientistas realizou uma nova tentativa para salvar o ecossistema.

Desta vez, usaram uma turbina modificada com 100 bicos de alta pressão para pulverizar biliões de cristais de sal no ar. Em teoria, os minúsculos cristais de sal são capazes de se misturar com nuvens de baixa altitude, tornando-as mais brilhantes e refletindo mais luz solar.

Até o gelo dos glaciares pode estar a sentir (e a registar) o impacto da covid-19

Lonnie Thomson, professor de Ciências da Terra da Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, acredita que o gelo dos glaciares de todo o mundo possa também estar a registar os efeitos da pandemia de covid-19.

O professor universitário recorda que este gelo, que esteve sem ser perturbado durante anos, mostra algumas mudanças das sociedades ao longo da história e “é provável” que registe também o impacto da covid-19 para gerações futuras.

“Estes registos serão trancados e preservados no gelo (…) E isto significa que daqui a 100 ou 200 anos este gelo mostrará tudo o que está a acontecer na atmosfera agora e informará as gerações futuras sobre o que está a acontecer”, explicou.
 

O oceano está a passar por uma mudança como não se via há 10 mil anos

Mudanças na circulação oceânica podem ter causado uma mudança nos ecossistemas do Oceano Atlântico, não observada nos últimos 10.000 anos, revela uma nova análise dos fósseis do fundo do mar.

Esta é a surpreendente conclusão de um novo estudo publicado na revista Geophysical Research Letters. O clima tem estado bastante estável nos últimos 12.000 anos desde o final da última Era Glacial, um período conhecido como Holoceno. Pensa-se que essa estabilidade é que permitiu à civilização humana realmente avançar.

Em defesa dos corais e da vida marinha, Palau proíbe protectores solares químicos

A proibição já entrou em vigor no arquipélado do Palau, grande parte dele reserva marinha e o primeiro país do mundo a concretizar a medida. A multa anda perto dos 900 euros.

Nova espécie encontrada na Fossa das Marianas já tinha plástico

A 6900 de profundidade, em plena Fossa das Marianas, foi descoberta uma nova espécie de anfípode, pertencente à ordem dos crustáceos. Mesmo nesta parte do oceano Pacífico, o lugar mais profundo do planeta, esta espécie já foi encontrada com plástico. Por isso, foi baptizada com o nome científico de Eurythenes plasticus. O anúncio foi feito na revista científica Zootaxa.

IMO 2020 - As amostras de Combustível Marítimo

Há um preço a ser pago pela descarbonização. Agora os combustíveis com 0,5% de enxofre são obrigatórios, e uma grande fronteira regulatória, que envolve diferentes parceiros, foi cruzada, trazendo um desafio de Compliance ainda mais complexo.

BRASIL

Com processo digital, Suape reduz uso de papel em 40%

Além de dar mais transparência, segurança e celeridade aos trâmites internos, a migração do processo físico para o digital tem ajudado a preservar o meio ambiente e a economizar recursos públicos no Complexo Industrial Portuário de Suape. Em cinco meses, entre agosto e dezembro de 2019, a empresa deixou de utilizar 1.040 resmas de papel, com a implantação do Sistema Eletrônico de Informações (SEI). Considerando que com uma árvore de eucalipto se produz uma média de 15 resmas, o volume é equivalente a 70 árvores que deixaram de ser retiradas da natureza.

O Congo é o rio mais profundo do planeta (e há um peixe que o prova)

A morte misteriosa de alguns peixes no baixo Congo ajudou os cientistas a descobrir que este é o rio mais profundo do planeta.

Segundo o Live Science, o primeiro vislumbre dos cientistas relativamente às profundezas do baixo Congo começou há mais de uma década, devido aos peixes pálidos e cegos que só apareciam quando já estavam a morrer ou mortos.

Mudanças climáticas ameaçam Canal do Panamá

A falta de água decorrente das mudanças climáticas é o maior desafio que o Canal do Panamá enfrenta para continuar operando normalmente, anunciou o governo panamenho, nas comemorações dos 20 anos da transferência da administração da via marítima ao país da América Central.

Segundo o presidente panamenho, Laurentino Cortizo, nos últimos 20 anos o canal rendeu frutos ao ser administrado "com maior eficiência", gerando "lucros crescentes" que foram destinados ao "desenvolvimento do país". Cortizo alertou, porém, que o abastecimento de água é um grande desafio para o futuro.

RIO DE JANEIRO, BRASIL

CDRJ participa em Simulação de Vazamento de Óleo no Mar

O Comitê do Plano de Área da Baía de Guanabara (PABG) realizou o 3º Exercício Completo de Resposta a Vazamento De Óleo no Mar, na Marina da Glória. A Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) participou da atividade, que simulou o choque entre duas embarcações, resultando no derramamento de 1.000 m³ de combustível no mar.

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Francisca Chambal

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Robledo Gioia

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Abertura do Painel I - Lídia Sequeira

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Adriano Rosamonte

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Augusto Fernando Cabi

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Madalena Neves

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Fernando Nunes da Silva

 Congresso Intercalar Portos CPLP - Rio de Janeiro – Domingos Fortes (1)

 “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”- Matos Fernandes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP – Menção Honrosa a Lima Torres

 IV Encontro de Portos da CPLP - Sessão de encerramento - Franklim Spencer

 “GEOPOLÍTICA DO MAR” - Carlos Manuel Mendes Dias (1)

 Novo Porto do Dande - Domingos Fortes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP - Franklin Spencer

 «Há muito potencial de crescimento nas relações comerciais Portugal/Brasil» (1)

 Porto de Luanda - 1955

 III Encontro de Portos da CPLP - Adalmir José de Sousa

 III Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Mesa de Honra

 III Encontro de Portos da CPLP - Estudo de mercado - (13) – Debate

 Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012

Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012