Início > GEO

Os rios mais psicadélicos da Terra

Esta é a foto mais recente do maior delta da Terra, onde confluem os rios Ganges, Brahmaputra e Meghna, tirada pelo satélite de observação Envisat da Agência Espacial Europeia.

Mapa da dívida a Sul do Saara

Dívida externa em percentagem do PIB, em 2010. Fonte: Banco Nacional de Angola, Centro de Estudos e Investigação Científica da Universidade Católica de Angola. Fundo Monetário Internacional e Ministério das Finanças.

«Monde Diplomatique» lança Atlas 2013 focado nos «Mundos Emergentes»

O prestigiado "Monde Diplomatique" acaba de lançar o Atlas para 2013, edição focalizada nos países emergentes. Para conhecer mais detalhes, visualizar algumas das páginas e decidir-se por uma eventual aquisição online, clique aqui.

ESTREITO DE MAGALHÃES

Infinitas enseadas, fiordes, bancos de areias, falsas passagens e baías

A profundidade da água do Estreito de Magalhães varia de 1.000 m a 4.000 m, e o canal é formado por infinitas enseadas, fiordes, bancos de areias, falsas passagens e baías. A passagem possui de 3 a 32 km de largura, é de difícil circulação, possui um curso cheio de obstáculos, ventos fortes de 55-60 nós, além do clima instável e suscetível a constantes tempestades, por isso o Estreito é tido como uma região de complicada navegação. Antes da construção do Canal do Panamá, o Estreito era o caminho mais rápido para se atravessar os Oceanos, sem passar pelo perigoso Cabo Horn, que separa a América do Sul do continente Antártico.

TSF cruzou o Estreito de Magalhães e voltou ao fim do Mundo

Ao completar 23 anos (2011), a TSF voltou ao fim do Mundo, cruzou o estreito de Magalhães atrás de uma história, de uma notícia. Em Ushuaia, no extremo da ilha da Terra do Fogo, a reportagem TSF, «Postais do Fim do Mundo», escutou alertas sobre as consequências do aquecimento global na cidade mais a Sul do globo.

EGIPTO-PRAIA, ANGOLA

Palmares deslizando até ao mar

Na costa litoral de Benguela, sensivelmente a 65 quilómetros a Norte do Lobito, existe uma localidade chamada Egipto-Praia.
No início da colonização portuguesa, há mais de cinco séculos atrás, embarcações lusas ancoraram em vários pontos da costa do território que constitui hoje Angola. A um desses locais, a sul do rio Cuvo, deram o nome de praia do Egipto, devido aos seus palmares “deslizando até ao mar”, numa extraordinária semelhança com o que tinham visto na costa do nordeste africano, concretamente nas costas egípcias, durante as suas andanças pelo mar Mediterrâneo.

PORTOS DA LUSOFONIA EM DESTAQUE

Porto de Óbidos, no Brasil

O Porto de Óbidos foi inaugurado em 18.08.1976 e está localizado na margem esquerda do rio Amazonas, na cidade de Óbidos, na latitude 1° 51’ sul e longitude 55° 35’ oeste; hora local GMT -3h. A principal frente acostáveis do Porto tem 39 metros de comprimento.

FUNDOS MARINHOS EXCEPCIONAIS

As Antilhas onde vale a pena perder tempo

Viagem às Antilhas francesas: Guadalupe e Martinica, dois paraísos das Caraíbas. Aqui, vamos a Guadalupe, terra de majestoso e activo vulcão, zonas rurais à antiga, fundos marinhos excepcionais e uma das praias mais cosmopolitas da região.

CryoSat vai mapear fundos oceânicos

O CryoSat foi lançado em 2010 para medir a espessura do gelo marítimo no Árctico, mas os dados do satélite do projecto Observação da Terra têm sido também explorados para outros estudos. O mapeamento de alta resolução da topografia do fundo dos oceanos foi agora incluído no repertório da missão gelo, para medir a sua espessura e monitorizar alterações nas camadas que cobrem a Gronelândia e a Antártica.

Documentário BBC - Terra: O Poder do Planeta - Oceanos

Prepare-se para presenciar um verdadeiro e assombroso espectáculo. Mergulhe em oceanos e escale montanhas para conhecer o catastrófico passado e o violento presente do nosso planeta. Os eventos aqui registados são assustadores e fascinantes! Sabia que todos os anos uma média de 18.000 meteoritos cai na Terra?; que apenas 7,4 km abaixo de si a temperatura chega a 3.000 graus?; ou que o topo do Monte Everest um dia já foi o fundo do oceano?

NATHALIE REY DA SILVA

Visualização 3D de dados oceanográficos simulados

A Oceanografia é o estudo das características físicas e biológicas dos oceanos e dos mares. Diversos aspectos climáticos e meteorológicos são afectados pelo comportamento do oceano. Além disso, no fundo oceânico existem grandes depósitos de minerais, como petróleo e gás.
A simulação oceânica consiste em realizar previsões do seu comportamento, através do processamento de modelos numéricos. Com o avanço do poder computacional, grandes volumes de dados são gerados, obtendo com isso uma maior exactidão das informações. Assim, ferramentas para a visualização destes dados tornam-se imprescindíveis para auxiliar os oceanógrafos na análise e interpretação das informações.

Correntes marítimas como nunca antes tinham sido vistas

Assombroso vídeo da Agência Espacial Norte-americana (Nasa), mostrando o vai e vem das correntes marítimas ao longo do globo.

A maior caverna subaquática da Rússia

A Gruta Ordinskaya fica a leste da região de Perm Horde, na margem esquerda do rio Kungur. Trata-se da maior caverna subaquática da Rússia e da segunda maior da Eurásia. A gruta é formada por duas partes: uma externa, acima do rio, que é seca, e a parte que fica debaixo d’água.

E se a água dos oceanos fosse doce?

As mudanças seriam tão grandes quanto o volume de sais que existe no mar: hoje, se os oceanos secassem, o planeta poderia ser coberto por uma camada de sal com 150 metros de espessura! A maior parte é sal de cozinha (cloreto de sódio). O resto são sais de enxofre, magnésio, cálcio e potássio, entre outros.

JÁ TINHA OUVIDO FALAR?

Mapa Múndi Suleado

Este mapa múndi está cinematicamente correcto para um observador do hemisfério sul, porque, de acordo com a física, tudo o que é observado (no caso a distribuição mundial do espaço) depende do referencial. Neste mapa, a cidade referencial é Sydney, na Austrália; portanto, esta é a maneira mais correcta de se ver o mundo para quem está lá, com o sul geográfico "para cima".
Podemos perceber também que a posição de Sydney está como estaria Paris na maioria dos mapas, no centro e acima do globo terrestre, o que mostra o carácter cultural da elaboração dos mapas.

POLÉMICAS EM TORNO DA CINEMÁTICA DOS MAPAS

NORTE para cima? NORTE para baixo?

"Mapas são representações/descrições do espaço. Portanto, representações não são absolutas! Dependem de onde se está observando o espaço (do ponto de vista da cinemática), assim como do contexto sócio-cultural de quem está fazendo a descrição!" - defende Sérgio Lima.
O conceito mais importante aqui é que numa Terra quase esférica, o “em cima” e o “em baixo” dependem do observador! Portanto, a escolha do Norte Geográfico para cima ou do Sul Geográfico para cima num mapa é relativa.

VÍDEO

A evolução da cartografia

O início do desenvolvimento da CARTOGRAFIA, ou seja, da ciência, da técnica e da arte de representação da superfície da Terra (ou parte dela), data dos primórdios da história humana. Mesmo antes de saber escrever o Homem já fazia desenhos para representar o espaço em que vivia.
A CARTOGRAFIA foi também uma forma de expressão da cultura e das crenças dos povos. É por isso que os mapas primitivos e antigos constituem um património cultural de valor inestimável.

VÍDEOS

A Grande História dos Mapas

De 1000 a.C. até ao Google Earth, as funções dos mapas e a influência do contexto político e científico para a evolução da cartografia. Uma produção da BFC com a participação da France 5. Documentário com 53 minutos.

Cartografia e educação cartográfica

O Professor Rafael Sanzio falando da importância do conhecimento da cartografia. E do bom uso e ensino da mesma.

PULAU SEMAKAU, SINGAPURA

A ilha artificial que é um aterro sanitário e... atracção turística!

Quatro meses de espera é o tempo que leva para os turistas conhecerem um aterro sanitário em Cingapura, o Pulau Semakau, cujo número de visitantes triplicou nos últimos cinco anos, passando de 4.000, em 2005, para 13.000, em 2010.
Mas o local não é um lixão. É uma ilha artificial que lembra uma reserva natural, apesar das 9,8 milhões de toneladas de lixo incinerado que ficam a cerca de 30 centímetros abaixo da superfície.

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)